' Blog do Walter Lima: Ativista pedem memorial na antiga estação do matadouro - Otávio Bonfim

LEIA TAMBÉM:

15 de set de 2015

Ativista pedem memorial na antiga estação do matadouro - Otávio Bonfim

Painel Valdecy Alves
Palco de muito sofrimento e brutalidade a antiga estação do Otávio Bonfim - MATADOURO guarda a história de sofrimento. As severas secas a partir de 1.870 ajuda nas maldades praticadas por políticos da época, segundo historiadores. Em 1932 a antiga estação ferroviária recebia flagelados de todas as partes do estado. Lá, segundo relatos históricos, e o livro "O quinze" da escritora Raquel de Queiroz eram olhados os dentes, ouvidos e o corpo. Depois enviados para ser "soldados da borracha" no Acre e em outros estados, se fossem sadios. Caso tivessem alguma enfermidade ou mal aparência seriam enviados para os campos de concentração no interior do Ceará. 


Foto reunião Walter Lima
Dentro dos campos de concentração, milhares de pessoas morreram de fome e sede. A proposta de emprego e comida atraia os flagelados. A intenção do governo da época era afasta-los da capital cearense para evitar saques no comércio. Campos de Concentração espalhados no Alagadiço, Pirambu em Fortaleza, Quixeramobim, Senador Pompeu e Crato no interior cearense duraram mais de 1 ano. Em Senador Pompeu vitimou quase 2 mil pessoas. Há relatos que os corpos eram jogados em valas comuns, próximo a serra do Patu, hoje cemitério das almas, venerado, visitado e símbolo da caminhada da seca no mês de Novembro em homenagem aos mortos. A entrada para a morte começava na estação do "MATADOURO",  Otávio Bonfim.



Foto acervo blog Fortaleza Nobre
"Matadouro do Otávio Bonfim, que funcionava perto da estação de trem e onde hoje está o prédio da regional I, ao lado da pracinha. (Foto ao lado). 

Um grupo de ativistas se reuniram na antiga estação em Fortaleza, no dia 12 de setembro de 2015 para debater a preservação da memória. A sugestão do advogado Valdecy Alves foi acatada pelos moradores do bairro. Entre os convidados para o evento estavam o jornalista Adriano Ribeiro, Repórter Walter Lima, Advogada Mara Paula e o historiador Paulo, que com insistência e luta conseguiram preservar a estação da Parangaba. Eles pretendem afastar ameaças que visitam a estrutura abandonada do Otávio Bonfim com a construção de um memorial às vítimas do holocausto de 32. Teo Lima um dos moradores do bairro se emocionou quando lembra ainda criança pulava no trem e seguia até a lagoa do Mundobim. Ele argumenta que o espaço servirá para atrair turistas e atividades da comunidade. 

Conforme publicou em seu blog, Valdecy Alves cita: A EXPERIÊNCIA DE PARANGABA
Fotos painel Valdecy Alves
FOI DEMONSTRADA COMO É IMPORTANTE A MOBILIZAÇÃO POPULAR: "A experiência vivida pela comunidade de Parangaba, que se mobilizou há algum tempo para impedir a demolição da estação ferroviária e foi vitoriosa, obtendo o tombamento do importante local histórico, foi narrada por um dos principais ativistas da luta, O PROFESSOR PAULO, que deixou clara a importância da consciência e da participação da comunidade para preservação do patrimônio histórico".

ENCAMINHAMENTOS APROVADOS POR UNANIMIDADE NA REUNIÃO: 1) Eleita comissão que irá ao órgão do Ministério Público Estadual no dia 16/09/2015 - da Procuradoria Geral de Justiça - para abertura de procedimento de proteção ao patrimônio histórico material representado pela Estação do Otávio Bonfim; 2) aprovado abaixo assinado requerendo o tombamento da estação Otávio Bonfim, com campanha para colher assinaturas da população do bairro e de Fortaleza a partir do dia 21/09/2015; 3) Marcada nova reunião para sábado - dia 19/09/2015, na Estação do Otávio Bonfim, um dos mais importantes palcos de fatos dramáticos da história do Brasil. POIS QUEM NÃO PRESERVA A MEMÓRIA NÃO TEM IDENTIDADE NEM INDIVIDUAL - MUITO MENOS COLETIVA! A LUTA SÓ ESTÁ COMEÇANDO!
Acompanhe mais no Blog do Valdecy Alves
Assista vídeos: https://www.youtube.com/user/walterlima100/videos 
Aluguéis, construção de imóveis veja no site: http://www.bholanda.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seus comentários. Cautelosamente apreciaremos para liberação.
Configurem crime de calúnia, injúria ou difamação;
Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.
Pena - detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Blog do Walter Lima © Copyright 2011. Tecnologia do Blogger.